quarta-feira, 18 de maio de 2011

Esperar o quê?


Quando demoramos a decidir trilhar um caminho que está no nosso destino, de uma forma ou de outra somos colocados nele.

Em poucos meses a minha vida tomou um rumo tão diferente e inesperado que me pego perguntando onde isso tudo vai dar... A única certeza que tenho é que parece que tudo já estava mesmo planejado e eu é que ainda não sabia. Mas a minha alma com certeza sabia e apoiava essas mudanças todas.

E nesse caso só me resta entregar e estar disponível para seguir os desígnios dessa força que guia.

Acho que o Universo age assim, algumas vezes, de forma tão rápida para não nos dar muito tempo de usar a razão. Porque, se tivéssemos tempo, com certeza ficaríamos presos ao casulo do velho, do que dá segurança e nunca arriscaríamos um vôo para além do que é conhecido.

O novo e a felicidade requerem muita coragem, muitas vezes uma coragem que só descobrimos a partir do momento em que nos decidimos ir, sem segurança e sem nenhuma garantia, experimentar o que ainda não foi experimentado, inventar coisas, misturar cheiros e cores, espalhar sementes, jogar água nas flores, e ver nascer passo a passo uma nova história.

Quantas vezes tentamos segurar um passado que já foi vivido e que, como o nome diz, já passou e não tem sentido nenhum,  por não ter coragem de arriscar o novo.

Esperar o quê? A hora é essa, o presente é agora...

Sinto que nos preparamos tanto para esse momento e para essa hora, onde cada um deve entrar na sua história; parece que a história já estava escrita e que já foi muitas vezes ensaiada. Mas na ‘hora H’ vem aquele friozinho na barriga e podemos correr o risco de morrer sufocados, como uma borboleta que se agarra ao casulo por não ter coragem de saltar no vazio.

Ahhhh... se ela soubesse que a natureza é tão perfeita que o tempo do casulo só termina quando as asas já estão prontas para voar...

Rubia A. Dantés

.

3 comentários:

Anônimo disse...

Muito boa reflexão. Mesmo sabendo disto nos precisamos de pessoas como você para nos lembrar.
Beijos com carinho.

disse...

tá difícil voar no momento.... mas o texto é perfeito pro meu momento... amei!

Silvana Aguiar Jansen disse...

como deixar o casulo??????

Sobre mim

Minha foto
Claudia Mei
É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo. Clarice Lispector
Visualizar meu perfil completo

Seguidores

Sitemeter

Visualizações de páginas

Tecnologia do Blogger.