segunda-feira, 30 de abril de 2012

O monstro da indiferença


"Se eu morrer, morre comigo um certo modo de ver", disse o poeta.

Um poeta é só isso: um certo modo de ver. O diabo é que, de tanto ver, a gente banaliza o olhar. Vê não vendo.

Experimente ver, pela primeira vez, o que você vê todo dia sem ver. Parece fácil, mas não é. O que nos é familiar já não desperta curiosidade.

O campo visual da nossa rotina é como um vazio. Você sai todo dia, por exemplo, pela mesma porta. Se alguém lhe perguntar o que é que você vê no seu caminho, você não sabe. De tanto ver, você não vê.

Sei de um profissional que passou 32 anos a fio pelo mesmo porteiro. Dava-lhe "bom dia" e, às vezes, lhe passava um recado ou uma correspondência.

Um dia o porteiro cometeu a descortesia de falecer. Como era ele? Sua cara, sua voz, como se vestia? Não fazia a mínima idéia. Em 32 anos, nunca o viu. Para ser notado, o porteiro teve que morrer. Se um dia, no seu lugar estivesse uma girafa cumprindo o rito, pode ser que ninguém desse por sua ausência.

O hábito suja os olhos e lhes baixa a voltagem.

Mas há sempre o que ver: gente, coisas, bichos. E vemos? Não, não vemos.

Uma criança vê o que um adulto não vê, pois tem olhos atentos e limpos para o espetáculo do mundo.

O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que, de tão visto, ninguém vê.

Há pai que nunca viu o próprio filho, marido que nunca viu a própria mulher.

Isso exige muito.

Nossos olhos se gastam no dia-a-dia.

É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença.

Otto Lara Resende .

.
domingo, 29 de abril de 2012

Perdoe


Comece o dia perdoando!

Um perdão largo, abrangente, de modo que possa abraçar toda a sua vida, as pessoas que circundam sua história hoje e no passado, as circunstâncias que frustraram planos, emoções e você mesmo.

Perdoe as pessoas!

Todas elas: as de hoje, de ontem e até seus antepassados: gente que você nem conhece, nem nunca ouviu falar e que, de alguma maneira, estancou o fluxo do amor em sua vida!

Perdoe e se reconcilie com provações, situações inaceitáveis, mas que podem ser perdoadas: coisas que provocam raiva, vontade de esganar alguém e, falsamente, encontrar alívio.

Perdoe-se para ter saúde e ser feliz, para ter a pele mais limpa e suave, diminuir as rugas e desfranzir a testa, para cultivar o sorriso e ter as portas da vida abertas!

Perdoe para simplificar assuntos confusos e tranquilizar gente ansiosa demais. Perdoe para ser feliz, reclamar menos, elogiar com sinceridade, fazer mais silêncio e ter mais criatividade.

Perdoe e faça do perdão um exercício contínuo, diário, repetitivo, decidido, ação teimosa, destemida e até contestadora: para se desfazer da mania de ter razão e a última palavra.

Perdoe, porque quem perdoa sabe o que é paz!

Comece o dia perdoando e reconcilie-se com a vida, com tudo e com todos. Porque perdão é coisa divina, ensinada por Deus desde que resolveu enviar seu filho Jesus Cristo para morrer por nós pecadores e, assim, nos reconciliar com os céus e a eternidade.

Perdoe-se também! Para destravar a vida, respirar com força e com tudo de bom. Perdoe culpado, sem culpa, querendo ou não; perdoe porque no perdão Deus sempre está e – mais ainda – perdoe, porque não haverá um dia novo, uma vida nova, se não houver perdão!

Comece você.

Comece o dia perdoando!

Ricardo Sá.

.
sábado, 28 de abril de 2012

Ainda bem


Ainda bem
Que agora encontrei você
Eu realmente não sei
O que eu fiz pra merecer
Você

Porque ninguém
Dava nada por mim
Quem dava, eu não tava a fim
Até desacreditei de mim

O meu coração
Já estava acostumado
Com a solidão

Quem diria que a meu lado
Você iria ficar
Você veio pra ficar
Você que me faz feliz
Você que me faz cantar
Assim

O meu coração
Já estava aposentado
Sem nenhuma ilusão

Tinha sido maltratado
Tudo se transformou
Agora você chegou

Você que me faz feliz
Você que me faz cantar
Assim...

Marisa Monte.


.
sexta-feira, 27 de abril de 2012

A ilusão


A ilusão é como aquele presente que chega enrolado num papel bem bonito, às vezes tanto que nem queremos abrir por medo, talvez, justamente de saber o que tem dentro.

Não buscamos ser enganados cientemente, mas inconscientemente desejamos que tudo o que é feio, mal, que faz mal, que decepciona, que fere, fique em algum lugar longe do nosso alcance.

Fechamos então os olhos para certas coisas e preferimos viver na ilusão de que tudo vai bem.

Quantas pessoas não vivem assim a vida inteira de olhos fechados? O mundo não é um campo florido sem espinhos e, em muitas ocasiões, particularmente ante o desconhecido, precisamos abrir nós mesmos o caminho para uma vida plena. E o que é uma vida plena?

É a vida cheia da maturidade e do conhecimento do bem e do mal e a faculdade de poder fazer uma escolha. O desconhecimento do mal não diminui nosso sofrimento, apenas encobre-o e dá-nos a ilusão de que tudo vai bem. É como estar doente e preferir ignorar, o tratamento não vem e menos ainda a cura ou a possibilidade dela.

Pessoas mentem-se porque não têm coragem o bastante para encarar a realidade, enfrentá-la e passar por cima dela. Muitos vivem de falsas felicidades, máscaras que preferem colocar diante dos outros e que somente nos momentos mais profundos de se estar consigo mesmos é que tiram e não podem impedir que as lágrimas corram.

Nessas horas são verdadeiras, feridas certamente, mas vivas e reais. É a maneira de encarar o mundo que diferencia os que chamamos de fracos e fortes. Os primeiros mentem-se e seguem assim, e os segundos abrem essa embalagem bonita, decepcionam-se com o que encontram e se dizem que ainda assim construirão alguma coisa ... porque viver é experimentar a vida nos seus pormenores, provar do doce e do amargo e ter no coração a certeza de que as verdades, mesmo doloridas, nos tornam mais fortes e nos condicionam a buscar o que há de melhor em nós.

Letícia Thompson. 

.
quinta-feira, 26 de abril de 2012

Pessoas são como elos




Elos que se entrelaçam pela força do destino, elos que se definem pelo livre arbítrio.

Pessoas formam histórias, histórias de vida com rumos pré destinados. Histórias de vida de livre escolha dos próprios atos.

O nosso eu é formado de pessoas. Pessoas que amamos, odiamos, especiais ou insignificantes.

A nossa história é formada por pessoas. Muitas delas ficam apenas um pouquinho conosco. Outras, uma eternidade de tempo físico. Outras uma eternidade de tempo imortal. Essas ficam conosco mesmo depois que o elo físico se rompe. São relações eternas de amor!

O rompimento doloroso só é capaz de provocar o afastamento da matéria. Do espírito, jamais. São essas as pessoas que fundamentam o nosso alicerce de vida. Elas vão e ficam ao mesmo tempo. São pessoas que jamais nos deixam sós, pelo simples fato de morarem dentro de nós. Essas são elos inquebráveis, que nos tornam capazes de ser também elos em outras vidas.

Elos de amizade, elos de amor...

E assim é a corrente da vida, onde as pessoas formam sempre elos...

Elos que nos marcam profundamente.

Desconheço a autoria.

.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

A voz da alma


Todos nós buscamos a felicidade e nessa busca percorremos caminhos que nem sempre nos levam a ela. Muitas vezes nos afastam cada vez mais do ponto onde a felicidade se encontra.

Aprendemos a querer coisas que na, verdade, não queremo, numa total incoerência com a nossa natureza.

Desde criança somos levados a acreditar que a felicidade será encontrada em coisas fora de nós e nos são dadas, ao longo dos tempos, muitas possíveis fórmulas prontas e muitos caminhos que apontam para a tão buscada felicidade. Assim, acabamos acreditando que fora daqueles padrões e daqueles conceitos não existe a menor chance de sermos felizes.

E saímos por aí conquistando coisas, cargos, status, stress, etc ... menos a felicidade!

Dá um sentimento de vazio quando constatamos que não era bem aquilo que esperávamos, uma sensação de ter vencido a corrida e não ter levado o prêmio...

Mas a voz do ego nos chama de muitas formas cada vez mais atrativas e mais convincentes e de novo embarcamos nessa busca que não tem conexão com a nossa vontade mais profunda.

E acabamos por ficar perdidos no meio de tantos chamados do ego, tentando chegar aos muitos finais onde existem as promessas que nunca se cumprem e que, cada vez mais, nos afastam da felicidade.

Mas também podemos escolher escutar uma outra voz! Uma voz que nos fala suavemente nos convidando a descobrir nosso próprio caminho, sem receitas prontas e onde cada um vai escrevendo a sua própria história.

É a voz da alma!

Para seguir esse chamado da alma é preciso coragem, desapego, além de muita fé.

Coragem porque, em alguns pontos, precisamos abrir a nossa própria estrada, passar por onde ninguém passou, buscando nos mergulhos profundos as pistas que indicam a direção do próximo passo.

Desapego dos conceitos, das regras e, principalmente, do ego. É preciso desaprender muitas das coisas que aprendemos e deixar espaço para coisas novas e que fazem sentido para a nossa história.

E fé para confiar nos caminhos que a alma nos indica, sabendo que aqui não existem os limites da nossa mente racional e que os impossíveis podem se tornar possíveis quando menos esperamos.

Quando nos abrimos para seguir a voz da alma, aos poucos vamos descobrindo que a felicidade não se encontra nos prometidos finais, mas em cada passo em que estamos conectados com o nosso propósito divino.

Vamos percebendo que a felicidade é um atributo de cada um de nós que aparece na medida em que vamos nos conhecendo melhor e nos aproximando de quem realmente somos. A felicidade se aproxima da gente na medida em que nos aproximamos de nós mesmos!

E chega um tempo onde não conseguimos mais fugir do chamado que vem da alma, porque essa voz vai se fazendo tão presente e tão natural que entendemos que é a única voz que nos indica o caminho de volta pra casa.

Escute a voz da sua alma e siga esses caminhos! Assim você vai perceber que muito além do conhecido existem muitas outras possibilidades.

Até a de ser feliz!

Rubia A. Dantés.

.
terça-feira, 24 de abril de 2012

Cuide do seu jardim


Aprendi coisas importantes nessa vida. É como se fosse um kit básico de sobrevivência.

Nunca sinta vergonha daqueles que te dão valor. Mostre-os ao mundo.

Com certeza você já amou alguém que fez com que seu mundo caísse e, com certeza, o valor que você deu foi muito superior ao que recebeu. Não se preocupe, isso acontece. É regra.

Mas quando você está no chão, achando que não tem mais jeito e que tudo está perdido, de repente acontece o que não é de se esperar, você passa a não ver apenas os pés passando por seus olhos, mas também uma mão te levantando e dizendo que vai ficar tudo bem.

Essa pessoa não liga se você está sujo, cego e não se importa se você não tem estrutura para se reerguer. Ela acredita em você e quer te ver de pé. É um momento difícil e seu único pensamento deve ser você mesmo.

Cuide do seu jardim para que venham as borboletas e, quando elas chegarem, não as esconda porque, em um mundo preto e branco, elas são as únicas coloridas.

Balance seu pé em um penhasco, mas não olhe para baixo, olhe em frente, logo o sol nasce outra vez e tudo ficará colorido.

O amor pode demorar a chegar, mas aos poucos ele há de aparecer, enquanto isso curta as borboletas fazendo cócegas em sua barriga. E tenha a certeza de que tudo ficará bem.


Karen Barros. 

.
segunda-feira, 23 de abril de 2012

A verdadeira beleza


Uma próspera empresa de produtos de beleza pediu aos habitantes de uma cidade grande que enviassem fotografias, acompanhadas de uma breve carta explicativa, das mulheres mais belas que eles conheciam.

Em poucas semanas milhares de cartas foram enviadas à empresa. Uma carta, em particular, chamou a atenção dos funcionários e foi levada à mesa do presidente da empresa.

A carta foi escrita por um menino que, evidentemente, fora criado num lar com problemas, em algum bairro de extrema pobreza.

Este é um trecho da carta com as devidas correções de grafia:

"Na minha rua mora uma mulher bonita. Eu vou à casa dela todos os dias. Ela me faz sentir o menino mais importante do mundo. Jogamos dama juntos e ela ouve os meus problemas. Ela me entende, e quando vou embora sempre diz bem alto, na porta, que sente orgulho de mim."

O menino terminava a carta dizendo:

"Esta fotografia mostra que ela é a mulher mais bonita do mundo. Espero ter uma esposa tão bonita quanto ela".

Intrigado com a carta, o presidente pediu para ver a fotografia da mulher. Sua secretária entregou-lhe a foto de uma mulher sorridente, sem nenhum dente na boca, de idade avançada, sentada em uma cadeira de rodas.

O ralo cabelo grisalho estava preso em formato de birote, e as rugas que marcavam seu rosto eram suavizadas pelo briho que vinha dos seus olhos.

- "Não podemos usar a fotografia dessa mulher" - explicou o presidente, sorrindo. "Ela mostraria ao mundo que nossos produtos não são necessários para uma mulher ser bela".


Desconheço a autoria.

.
sábado, 21 de abril de 2012

Hoje


Hoje vou apagar do meu calendário dois dias: ontem e amanhã!

Ontem foi para aprender! Amanhã será uma consequência do que posso fazer hoje.

Hoje enfrentarei a vida com a convicção de que este dia nunca mais retornará.

Hoje é a última oportunidade que tenho de viver intensamente, já que ninguém me assegura que amanhã verei o amanhecer.

Hoje terei coragem para não deixar passar as oportunidades que se apresentam, que são as minhas chances de triunfar!

Hoje aplicarei a minha riqueza mais apreciada: o meu tempo! Meu trabalho mais transcendental: a minha vida!

Viverei cada minuto apaixonadamente para transformar este dia num único e no melhor dia da minha vida!

Hoje vencerei cada obstáculo que surgir no meu caminho acreditando que vencerei!

Hoje resistirei ao pessimismo e conquistarei o mundo com um sorriso, com uma atitude positiva esperando sempre o melhor!

Hoje farei de cada humilde tarefa uma sublime expressão!

Hoje terei meus pés sobre a terra compreendendo a realidade! E as estrelas cintilarão para inaugurar o meu futuro.

Hoje usarei o meu tempo para ser feliz!

Deixarei as minhas pegadas e a minha presença nos corações queridos!

Venha viver comigo uma nova estação onde sonharemos que tudo o que nos propomos pode ser possível!

E ousaremos brindar a próxima manhã com a certeza de um dia melhor.

Desconheço a autoria.

.
sexta-feira, 20 de abril de 2012

Se você quer, você pode!


Tudo que você quer, você pode, ainda que lhe sejam impostas condições! Uma força estranha conspira...

O artista cria a mais bela estátua, mas dilacera a pedra.

A árvore cresce viçosa, mas suas raízes rasgam calçadas.

Para a mais pura porcelana, o mais alto grau de fogo.

O milagre da vida acontece porque existe o parto e ninguém venha me dizer que não é com dor.

Sem lutas, vitória não há!

Se você não ama a vida, faça uma experiência que o fará adorá-la: fique doente!

Maria José Zanini Tauil.

.
quinta-feira, 19 de abril de 2012

Você pode ser...


Ninguém dá o que não tem. A bondade, o amor, o perdão, a generosidade, só podemos dar se trazemos nós mesmos dentro do coração.

Pode alguém dar água de uma fonte seca ou dar pão de uma cesta vazia? Um pé de mangas não dá maçãs e uma figueira não dá uvas.

Jesus deu amor porque sempre foi uma fonte inesgotável de amor, deu compaixão, porque isso fazia parte dele.

Se você quer cultivar rosas no seu jardim, plante rosas. Jamais uma roseira dará margaridas.

Se quer dar luz, cultive-a dentro de si mesmo.

Se quer dar bondade, seja bom.

Se quer abençoar, seja primeiro a bênção.

Mão frias não transmitem calor, coração triste não transmite alegria.

Você pode ser o que seu coração deseja.

A decisão é sua!

Determine coisas boas e positivas para si mesmo. Sendo para você, será também para os demais.

Seja um campo de flores bonitas e todas as pessoas que cruzarão seu caminho jamais continuarão a jornada sem carregar nelas um pouco do seu perfume.

Letícia Thompson.

.
quarta-feira, 18 de abril de 2012

A vida passa...


Olha a vida passando, além dos problemas de quem quer que seja, não importa se amas ou se és feliz, se as mãos estão juntas ou separadas, se nesta noite houve amores incontroláveis, ou se os casais dormiram separados.

A vida passa além das emoções, como a nuvem que até agora pouco estava ali, e já não está mais...

Não olhe para o tamanho das dificuldades, nem deixe seu espírito se perturbar pelo que você considera grande demais. Existe em você um gigante pronto para lutar.

Convoque-o, abra as portas da vida, deixe o sol entrar, olhe para a frente, já que é lá que você pode chegar, pois o passado é uma estrada que já percorremos e não podemos voltar...

Olha a vida passando, já que passa, que seja com gozo, alegria e doces recordações, como ler "Pessoa" e refletir, como orar e sentir o peito leve, é o próprio Deus levando a vida, que continua silenciosamente a passar, esperando por você que é barquinho de papel, nesse rio que vai desaguar em algum lugar, que nem eu, nem você pode precisar.

Aproveite este dia!

Paulo Roberto Gaefke.

.
terça-feira, 17 de abril de 2012

Ame-se


Uma senhora fazia feira há mais de 20 anos, sempre pensando nas coisas fresquinhas que iria levar para o marido, para o filho mais velho, para o filho do meio, para a caçulinha. Um dia ela foi surpreendida pela pergunta do feirante:

- "E para a senhora, o que vai levar?"

Ela foi até em casa pensando nos jilós que há muitos anos não comprava, apesar de adorar, ela nunca comprava o danado do jiló, pois ninguém em sua casa gostava. Nesse dia ela chegou em casa e voltou correndo para a feira, comprou um monte de jilós fresquinhos, preparou com gosto como se fosse para uma rainha, e comeu com mais gosto ainda, sentindo-se a própria rainha!

Quantos jilós deixamos de comer para agradar essa ou aquela pessoa? Quantas coisas boas deixamos para trás em nome do amor? Quantos sapos engolimos e, às vezes, até humilhações sofremos calados? Tudo em nome do amor. Sei lá que raio de amor é esse, amor de peixe podre, quando mexe fede, quando frita faz mal.

Tenho andado pelas ruas e continuo vendo as pessoas de olhar baixo, olhos cansados, semblante pesado, parece que as pessoas estão esperando algo acontecer para serem felizes. Ouço muitos suspiros, as pessoas afirmam que, se tivessem mais dinheiro seriam felizes, se tivessem alguém para amar seriam felizes, se tivessem um emprego seriam felizes.

Por outro lado, vejo pessoas com muito dinheiro com muito medo de perder o que conquistou, com medo de sair na rua, com medo de sequestro, tomando "sono em caixinhas". Vejo casais brigando por cada besteira, ciúmes, paranóias, desgaste de relações, filhos abandonados, incompreensão. Gente empregada reclamando do chefe, do salário, do lugar, da cadeira, dos amigos da mesa ao lado...

E o tempo passando, escorrendo como areia fina pelos dedos, as oportunidades passam na nossa vida e nem damos bola, estamos ocupados demais em atender a esse ou aquele pedido dos outros, estamos nervosos demais na reclamação, na angústia, na incompreensão dos outros. Continuamos colocando sonhos malucos em nossa cabeça sem avisar as partes interessadas.

Por fim, não acreditamos que a felicidade está na nossa porta, que esta dentro de nós agora, que podemos comer jiló quando quisermos, que podemos não querer jiló nessa hora. Que somos donos do nosso nariz, que se quebrarmos a cara em uma tentativa qualquer, somos nós que temos que nos levantar, tirar o aprendizado da experiência e tocar o barco.

Olha ... a sua vida é um barquinho, sua vontade são os remos, os desafios são os rios turbulentos. Para avançar seu barquinho e alcançar um porto seguro - ser feliz - é preciso gostar de seu barquinho, cuidar dele com carinho. Imagine se o seu barco estiver com o casco furado? Você não vai chegar em lugar nenhum. Por isso, repito sempre, cuide primeiro do seu barquinho - sua vida - e quando ele estiver forte, bonito e preparado para vencer os rios, você poderá rebocar todos os que estiverem "perdidos pelo caminho". 

Ou seja, ame-se!

Ah! E se você tiver vontade de comer jiló, vá a feira, escolha os mais bonitos e coma até se lambuzar.

Desconheço a autoria.

.
segunda-feira, 16 de abril de 2012

Origem feminina


Existem várias lendas sobre a origem da Mulher.

Uma diz que Deus pos o primeiro homem a dormir, inaugurando assim a anestesia geral, tirou uma de suas costelas e com ela fez a primeira mulher. E que a primeira provação de Eva foi cuidar de Adão e aguentar o seu mau humor, enquanto ele convalescia da operação.

Uma variante desta lenda diz que Deus, com seu prazo para a Criação estourado, fez o homem às pressas, pensando “Depois eu melhoro”, e mais tarde, com tempo, fez um homem mais bem-acabado, que chamou Mulher, que é “melhor” em aramaico.

Outra lenda diz que Deus fez a mulher primeiro, e caprichou nas suas formas, e aparou aqui e tirou dali, e com o que sobrou fez o homem só para não jogar barro fora.

Zeus teria arrancado a mulher de sua própria cabeça.

Alguns povos nórdicos cultivam o mito da Grande Ursa Olga, origem de todas as mulheres do mundo, o que explica o fato das mulheres se enrolarem periodicamente em pêlos de  animais, cedendo a um incontrolável impulso atávico, nem que seja só para experimentar, na loja, e depois quase desmaiar com o preço.

Em certas tribos nômades do Meio Oriente ainda se acredita que a mulher foi, originariamente, um camelo que, na ânsia de servir seu mestre de todas as maneiras, foi se transformando até adquirir sua forma atual.

No Extremo Oriente existe a lenda de que as mulheres caem do céu, já de kimono. E em certas partes do Ocidente persiste a crença de que mulher se compra através dos classificados, podendo-se escolher idade, cor da pele e tipo de massagem.

Todas estas lendas, claro, têm pouco a ver com a verdade científica. Hoje se sabe que o Homem é o produto de um processo evolutivo que começou com a primeira ameba a sair do mar primevo, e é o descendente direto de uma linha específica de primatas, tendo passado por várias fases até atingir o seu estágio atual e aí encontrar a Mulher, que ninguém ainda sabe de onde veio.

É certamente ridículo pensar que as mulheres também descendem de macacos. A minha mãe, não!

Uma das teses mais aceitáveis sobre o papel da mulher na evolução do homem é a de que o primeiro encontro entre os dois se deu no período paleolítico, quando um homo-sapiens, mas não muito, chamado possivelmente Ugh, saiu para caçar e avistou, sentado numa pedra, penteando os cabelos, um ser que lhe provocou o seguinte pensamento, em  linguagem de hoje:

"Isso é que é mulher e não aquilo que tenho na caverna".

Ugh aproximou-se da mulher e, naquele seu jeitão, deu a entender que queria procriar com ela. "Agh maakgrom grom"”, ou coisa parecida. A mulher olhou-o de cima a baixo e desatou a rir. É preciso lembrar que Ugh, embora fosse até bem apessoado pelos padrões da época, era pouco mais do que um animal aos olhos da mulher. Tinha a testa estreita e as mandíbulas pronunciadas e usava gordura de mamute nos cabelos.

A mulher disse alguma coisa como "Você não se enxerga, não?", e afastou-se, enojada, deixando Ugh desolado. Antes dela desaparecer por completo, Ugh ainda gritou: "Espera uns 10 mil anos pra você ver!", e de volta à caverna exortou seus companheiros a aprimorarem o processo evolutivo.

Desde então, o objetivo da evolução do homem foi o de proporcionar um par à altura para a mulher, para que, vendo o casal, ninguém dissesse que ela só saía com ele pelo dinheiro, ou para espantar assaltantes.

Se não fosse por aquele encontro fortuito em alguma planície do mundo primitivo, o homem ainda seria o mesmo troglodita desleixado e sem ambição, interessado apenas em caçar e catar seus piolhos, e um fracasso social.

Mas de onde veio a primeira mulher, já que podemos descartar tanto a evolução quanto as fantasias religiosas e mitológicas sobre a criação?

Inclino-me para a tese da origem extraterrena. A mulher viria (isto é pura especulação, claro) de outro planeta.

Venho observando-as durante anos - inclusive casei com uma, para poder estudá-las mais de perto - e julgo ter colecionado provas irrefutáveis de que elas não são deste mundo. Observei que elas não têm os mesmos instintos que nós, e volta e meia são surpreendidas em devaneio, como que captando ordens de outra galáxia, embora disfarcem e digam que só estavam pensando no jantar.

Têm uma lógica completamente diferente da nossa. Ultimamente têm tentado dissimular sua peculiaridade, assumindo atitudes masculinas e fazendo coisas - como dirigir grandes empresas e xingar a mãe do motorista ao lado - impensáveis há alguns anos, o que só aumenta a suspeita de que se trata de uma estratégia para camuflar nossas diferenças, que estavam começando a dar na vista.

Quando comentamos o fato nos acusam de ser machistas, presos a preconceitos e incapazes de reconhecer seus direitos, ou então roçam a nossa nuca com o nariz, dizendo coisas como "ioink, ioink", que nos deixam arrepiados e sem argumentos. Claramente combinaram isto!

Estão sempre combinando maneiras novas de impedir que se descubra que são alienígenas e têm desígnios próprios para a nossa Terra. É o que fazem, quando vão, todas juntas, ao banheiro, sabendo que não podemos ir atrás para ouvir.

Muitas vezes, mesmo na nossa presença, falam uma linguagem incompreensível que só elas entendem, obviamente um código para transmitir instruções do Planeta Mãe.

E têm seus golpes baixos. Seus truques covardes. Seus olhos laser, claros ou profundamente escuros, suas bocas. Meu Deus, algumas têm até sardas no nariz. Seus seios, aqueles mísseis inteligentes. Aquela curva suave da coxa, quando está chegando no quadril, e a Convenção de Genebra não vê isso!

E as armas químicas - perfumes, loções, cremes. São de uma civilização superior, o que podem nossos tacapes contra os seus exércitos de encantos?

Breve dominarão o mundo. Breve saberemos o que elas querem. Se depois de sair este artigo, eu for encontrado morto com sinais de ter sido carinhosamente asfixiado, como um sorriso, minha tese está certa. Se nada me acontecer, sinal de que a tese está certa, mas elas não temem mais o desmascaramento.

O que elas querem, afinal?

Se a mulher realmente veio ao mundo para inspirar o homem a melhorar e ser digno dela, pode ter chegado à conclusão de que falhou, que este velho guerreiro nunca tomará jeito. Continuaremos a ser mulheres com defeito, uma experiência menor num planeta inferior. O que sugere a possibilidade de que, assim como veio, a mulher está pronta a partir, desiludida conosco.

E se for isso que elas conspiram nos banheiros? A retirada? Seríamos abandonados à nossa própria estupidez. Elas levariam as suas filhas e nos deixariam com caras de Ugh.

Posso ver o fim da nossa espécie. Nossos melhores cientistas abandonando tudo e se dedicando a intermináveis testes com a costela, depois de desistir da mulher sintética. Tentando recriar a mágica da criação. Uma mulher, qualquer mulher, de qualquer jeito! Prometemos que desta vez não as decepcionaremos! Uma mulher! Como é que se faz uma mulher?

Atribuído a Luis Fernando Verissimo.

.
sábado, 14 de abril de 2012

Exato momento


O amor precisa da sorte
De um trato certo com o tempo
Pra que o momento do encontro seja pra dois o exato momento
O amor precisa de sol
E do barulho da chuva
De beijos desesperados
De sonhos trocados da ausência de culpa
Talvez o amor só seja assim pra mim
E pra você não seja nada disso
Mas eu prometo tentar aprender a te amar do jeito que for preciso
Do jeito que for preciso, do jeito que for preciso, do jeito que for preciso...
Mas se o amor quiser mudar as leis do que é certo
Ele faz que o improvável aconteça
Quando o amor vier não tema, tenha fé
Que ele será seu olhar, esplendor e beleza
Talvez o amor só seja assim pra mim
E pra você não seja nada disso
Mas eu prometo tentar aprender a te amar do jeito que for preciso
Do jeito que for preciso, do jeito que for preciso...

Zé Ricardo.



.
sexta-feira, 13 de abril de 2012

A casa dos mil espelhos


Tempos atrás, em um distante e pequeno vilarejo, havia um lugar conhecido como a casa dos 1000 espelhos. Um pequeno e feliz cãozinho soube deste lugar e decidiu visitar. Lá chegando, saltitou, feliz, escada acima até a entrada da casa.

Olhou através da porta de entrada com suas orelhinhas bem levantadas e a cauda balançando tão rapidamente quanto podia. Para sua grande surpresa, deparou-se com outros 1000 pequenos e felizes cãezinhos, todos com suas caudas balançando tão rapidamente quanto a dele. Abriu um enorme sorriso e foi correspondido com 1000 enormes sorrisos. Quando saiu da casa, pensou:

- Que lugar maravilhoso! Voltarei sempre, um montão de vezes!

Neste mesmo vilarejo, um outro pequeno cãozinho, que não era tão feliz quanto o primeiro, decidiu visitar a casa. Escalou lentamente as escadas e olhou através da porta. Quando viu 1000 olhares hostis de cães que lhe olhavam fixamente, rosnou e mostrou os dentes e ficou horrorizado ao ver 1000 cães rosnando e mostrando os dentes para ele. Quando saiu, ele pensou:

- Que lugar horrível! Nunca mais volto aqui...

Todos os rostos do mundo são como espelhos. Prontos para refletir aquilo que você oferecer.

Pensando nisso, que tipo de reflexos você anda percebendo?

Folclore japonês.

.
quinta-feira, 12 de abril de 2012

Como ser legal


Todo mundo quer ser legal, e todo mundo se ferra na empreitada. É difícil ser legal o tempo inteiro. A gente consegue ser legal a maior parte do tempo, mas aí faz uma besteira e pronto: tudo o que você fez de bom é imediatamente esquecido e você se torna apenas aquele que fez a grande besteira. Aí você precisa de mais uns dois meses sendo exclusivamente legal para todo mundo esquecer da besteira. E quando eles esquecem, você faz outra, claro.

Mas você é legal. Você é simpático com os amigos, dá sempre uma força quando eles precisam. Você puxa papo com o garçom, abre a porta do elevador para sua vizinha entrar, você acaricia a cabeça das criancinhas, você é fiel à sua namorada, você até empresta seus discos.

Você é 24 horas por dia legal, até o momento em que sua mãe pede para você almoçar na casa dela, você vai e diz que o suflê está intragável. Está mesmo. Mas ela diz que você fala isso só para implicar, aí você pede desculpas, aí ela diz que você nunca aparece e quando aparece é para reclamar, aí você diz para ela parar de fazer chantagem emocional e aí ela corre para o quarto chorando e você, que achava que sua mãe já estava na menopausa, descobre que ela ainda sofre de TPM.

Tem hora que é imprescindível chutar o balde. Tem hora que é fundamental deixar a verdade nua e crua vir à tona. Tem hora que você precisa dizer para sua namorada: eu te adoro, mas quero ficar sozinho hoje à noite, qual é o problema? O problema é que ela passa a te odiar. E você passa a achar que não tem vocação pra ser legal o tempo inteiro. E é verdade. Ninguém tem. É cansativo. Desgastante. Já somos legais à beça por tentar. Tem gente que nem isso.

Martha Medeiros.

.
quarta-feira, 11 de abril de 2012

O melhor de mim


Felicidade é discreta, silenciosa e frágil, como a bolha de sabão. Vai-se muito rápido, mas sempre se pode assoprar outras.

Quem é rico em sonhos não envelhece nunca. Pode até ser que morra de repente. Mas morrerá em pleno vôo. O que é muito bonito.

Eternidade é o tempo quando o longe fica perto. Não quero nem subir para os céus, nem progredir para frente. Quero mesmo é voltar para os lugares e os tempos que amei e perdi.

A alma é o lugar da saudade. Velhice é quando o rio se prepara para converter-se em mar.

Para tudo há um tempo. Mas Deus colocou o coração do homem para além do tempo, na eternidade.

Seremos sábios quando nos tornamos crianças: essa é a essência da sabedoria bíblica.

Deus é alegria. Uma criança é alegria. Deus e uma criança têm isso em comum: ambos sabem que o universo é uma caixa de brinquedos. Deus vê o mundo com olhos de criança. Está sempre à procura de companheiros para brincar.

Eu poderia ter sido jardineiro... Como não fui, tento fazer jardinagem como educador, ensinando às crianças, minhas amigas, o encanto pela natureza. O jardim é a face divina da nostalgia que mora em nós. Jardins bonitos há muitos, mas só traz alegria o jardim que nascer dentro da gente.

Otimismo é quando, sendo primavera do lado de fora, nasce a primavera do lado de dentro.

Esperança é quando, sendo inverno do lado de fora, a despeito dele brilha o Sol de verão no lado de dentro.

Já tive medo da morte. Hoje não tenho mais. O que sinto é uma enorme tristeza. A vida é tão boa! Não quero ir embora ...

A vida, para ser bela, deve ser cercada de verdade, de bondade, de liberdade. Essas são as coisas pelas quais vale a pena morrer.

Rubem Alves.

.
terça-feira, 10 de abril de 2012

Alfabetos do céu


Numa escola de ensino fundamental, uma menina de 7 anos fez um desenho de uma paisagem com tintas coloridas. Era a tarefa do dia na aula: pintar um lugar onde eles gostariam de estar.

A menina se esmerou com a palheta de cores e produziu, empolgada, sua obra de arte. Ansiosa, levantou-se da cadeira e foi mostrar à professora. Ao ver a pintura, a educadora notou algo estranho já de cara. Disse baixinho um “muito bem”, para incentivar a criança, fez um carinho e pegou o desenho em mãos. Os trabalhinhos seriam expostos no outro dia no mural da escola.

No intervalo para o lanche, a professora não se conteve, pegou o desenho e foi mostrar às outras que se encontravam na secretaria da escola. Ela queria uma opinião sobre aquilo. Algumas delas eram mais entendidas em psicologia infantil, e quem sabe, poderiam ajudá-la a decifrar o que estava pintado ali.

- “O que será que ela quis dizer com isso? Isso deve estar mostrando algum sentimento, algo que ela tem guardado. Mas o que será?”

As amigas de profissão não souberam dizer. Algumas disseram que não era nada, que não deveria se preocupar. Mas ela estava encafifada, se poderia dizer.

Voltou à sala de aula e resolveu que, ao final do período, iria conversar com a menina e perguntar a ela o que significava.

Chamou-a, então, com discrição, à sua mesa e perguntou, com a pintura na mão:

- "Querida, você pode explicar algo para a tia?”

A criança acenou com a cabeça.

- “Se o céu é azul, por que você desenhou um céu cor-de-rosa?”

- “Mas o céu não é azul, tia!”, respondeu ela, com educação. “Quem diz que o céu é azul é analfabeto de céu! Ontem, no final da tarde, o céu atrás de minha casa estava assim, rosa. Esses dias vi um céu laranja! À noite ele é sempre preto, ou azul escuro, mas de dia ele pode ser cinza claro, cinza escuro, vermelho..."

“Sabe... uma vez eu vi uma tempestade tão grande no céu, que ela chegou a pintar o céu de verde! Não é todo mundo que acredita, mas eu vi, era verde.”

A menina fez um verdadeiro discurso sobre as cores do céu, deixando boquiaberta a professora desatenta. Ela nunca havia parado para pensar nisso. Aceitou tão facilmente a verdade, o clichê de que o céu é azul, que acabou esquecendo a variedade de cores possíveis na abóbada celeste.

Percebeu, então, como as crianças têm uma sensibilidade admirável e que muito tinha a aprender com elas.

Com certeza, na próxima vez, antes de achar que possa existir algum problema numa criança, iria se analisar, para perceber se não era sua sensibilidade que precisava de escola.

Desconheço a autoria.

.
segunda-feira, 9 de abril de 2012

Bom, ruim, assim assim


Quer saber de uma coisa?

Tudo pode ser bom, ruim e, principalmente, assim assim. Tudo ao mesmo tempo ou não, e não necessariamente nessa ordem.

Bom é chegar na praia à tardinha, anúncio de por de sol, a água de ondas mansinhas, jogar bola na espuma e, sob o céu, encaixa como se fora Tafaréu.

É bom também quando começa a chover e as gotas fazem cócegas na superfície do mar como se um cardume infinito prometesse matar a fome de todo o Vidigal, Rocinha, Cidade de Deus e Vigário Geral.

Ruim é lembrar daquele amigo que, de prancha na mão, morreu de um beijo roubado de um raio, da lembrança, a correria.

O medo... o medo... medo é bom, ruim é o medo de ter medo!

Bom voltar, trocar chuva por chopp, e passar atrás da pelada, a bola vai pra fora e, como na crônica de Rubem Braga, sobra pra você que mata no peito, faz embaixadinha e devolve redondo... num chute perfeito.

Ruim é a fisgada na coxa, sair mancando disfarçadamente, a vergonha de estar decadente não é ruim, ruim é o orgulho que se nega a reconhecer a decadência.

É bom a cidade estranha em que você nunca esteve e sabe que nunca mais vai voltar, e nesse lugar você tem uma obrigação sem graça que cumpre com estilo e precisão traçando um dia perfeito no arco do tempo.

Quando cai a noite é bom tomar um banho e, sob o chuveiro, é bom sentir saudade; ruim é não ter saudade, e como é bom sair sem direção pelas ruas da cidade pensando no que você fez da sua vida e no que a vida fez em você.

Bom é sonhar, realizar não é tão bom, mas ruim mesmo é não realizar.

O fim de um grande amor é muito, muito ruim, um grande amor não tem fim!

Bom é amar, ruim é amar... Bom é encarar a vida com fantasia.

Quando um poeta desaparece é bom colocar chapéu de Bogar que tudo pode solucionar.

Ruim é encontrar o precipício, morrer não deve ser tão ruim assim...

E pode ser bom falar sobre bom e ruim, e pode ser pior assim assim ... bom!

Pedro Bial.

.
quinta-feira, 5 de abril de 2012

Aprendi


Se, por um instante, Deus se esquecesse de que sou uma marionete de trapo e me presenteasse com um pedaço de vida, possivelmente não diria tudo o que penso, mas, certamente, pensaria tudo o que digo.

Daria valor às coisas, não pelo que valem, mas pelo que significam.

Dormiria pouco, sonharia mais, pois sei que a cada minuto que fechamos os olhos, perdemos sessenta segundos de luz. Andaria quando os demais arassem, acordaria quando os outros dormem. Escutaria quando os outros falassem e gozaria um bom gelado de chocolate.

Se Deus me presenteasse com um pedaço de vida, vestir-me-ia com simplicidade, deitar-me-ia de bruços no solo, deixando a descoberto não apenas meu corpo, como minha alma. Deus meu ... se eu tivesse um coração, escreveria o meu ódio sobre o gelo e esperaria que o sol saísse.

Pintaria, como um sonho de Van Gog, sobre estrelas, um poema de Mário Benedetti e uma canção de Serrat - seria a serenata que ofereceria à Lua. Regaria as rosas com as minhas lágrimas para sentir a dor dos espinhos e o encarnado beijo de suas pétalas.
Deus meu ... se eu tivesse um pedaço de vida, não deixaria passar um só dia sem dizer às gentes - amo-vos, amo-vos!

Convenceria cada mulher e cada homem que são os meus favoritos e viveria apaixonado pelo amor. Aos homens, provar-lhes-ia como estão enganados ao pensarem que deixam de apaixonar-se quando envelhecem, sem saber que envelhecem quando deixam de apaixonar-se....

A uma criança dar-lhe-ia asas, mas deixaria que aprendesse a voar sozinha. Aos velhos, ensinaria que a morte não chega com a velhice, mas com o esquecimento.

Tantas coisas aprendi com vocês, os homens... Aprendi que toda a gente quer viver no cimo da montanha, sem saber que a verdadeira felicidade está na forma de subir a escarpa.

Aprendi que, quando um recém-nascido aperta com a sua pequena mão, pela primeira vez, o dedo de seu pai, o torna prisioneiro para sempre.

Aprendi que um homem só tem o direito de olhar um outro de cima para baixo para ajudá-lo a levantar.

São tantas as coisas que pude aprender com vocês, mas, finalmente, não poderão servir muito porque quando me olharem dentro dessa maleta, infelizmente estarei morrendo.




Gabriel Garcia Marques.

.
quarta-feira, 4 de abril de 2012

Borboletas


Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande. As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as delas. Temos que nos bastar...

Nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém. As pessoas não se precisam, elas se completam... Não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe, também, que aquela pessoa que você ama - ou acha que ama - e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher da sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem gosta de você.

O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final de contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você.

Mario Quintana.

.
terça-feira, 3 de abril de 2012

Abençoadas...


Abençoadas sejam as surpresas risonhas do caminho. As belezas que se mostram sem fazer suspense. As afeições compartilhadas sem esforço. As vezes em que a vida nos tira pra dançar sem nos dar tempo de recusar o convite. As maravilhas todas da natureza, sempre surpreendentes, à espera da nossa entrega apreciativa. A compreensão que floresce, clara e mansa, quando os olhos que veem são da bondade.

Abençoados sejam os presentes fáceis de serem abertos. Os encantos que desnudam o erotismo da alma. Os momentos felizes que passam longe das catracas da expectativa. Os improvisos bons que desmancham o penteado arrumadinho dos roteiros da gente. Os diálogos que acontecem no idioma pátrio do coração. Abençoada seja a leveza, meu Deus.

Abençoadas sejam as dádivas generosas que vêm nos lembrar que viver pode ser mais fácil. Que amar e ser amado pode ser mais fluido. Que dá pra girar o dial. Que dá pra sair da frequência da escassez e sintonizar a estação da disponibilidade, onde alegrias já cantam, mas a gente não ouve.

Abençoadas sejam as dádivas que vêm nos lembrar, com alívio, que há lugares de descanso para os nossos cansaços. Que há lugares de afrouxamento para os nossos apertos. Que dá pra mudar o foco. Que não é tão complicado assim saborear a graça possível que mora em cada instante.

Abençoadas sejam as dádivas generosas que nos surpreendem...

Ana Jácomo.

.
segunda-feira, 2 de abril de 2012

Sonhe


A mente cria infinitos caminhos alternativos para a realização de nossos sonhos. Faça sua escolha e siga em frente. Só não desperdice energia, nem fique paralisado pelas preocupações que conduzirão ao seu sonho.

Uma pedra que rola montanha abaixo se movimenta com velocidade cada vez maior. Assim é com seu sonho. À medida que ele começa a se realizar, a velocidade de realização aumenta.
 
Extraída do livro "O Principio do TAO Aplicado ao Cotidiano."


.

Sobre mim

Minha foto
Claudia Mei
É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo. Clarice Lispector
Visualizar meu perfil completo

Seguidores

Sitemeter

Visualizações de páginas

Tecnologia do Blogger.