quarta-feira, 25 de abril de 2012

A voz da alma


Todos nós buscamos a felicidade e nessa busca percorremos caminhos que nem sempre nos levam a ela. Muitas vezes nos afastam cada vez mais do ponto onde a felicidade se encontra.

Aprendemos a querer coisas que na, verdade, não queremo, numa total incoerência com a nossa natureza.

Desde criança somos levados a acreditar que a felicidade será encontrada em coisas fora de nós e nos são dadas, ao longo dos tempos, muitas possíveis fórmulas prontas e muitos caminhos que apontam para a tão buscada felicidade. Assim, acabamos acreditando que fora daqueles padrões e daqueles conceitos não existe a menor chance de sermos felizes.

E saímos por aí conquistando coisas, cargos, status, stress, etc ... menos a felicidade!

Dá um sentimento de vazio quando constatamos que não era bem aquilo que esperávamos, uma sensação de ter vencido a corrida e não ter levado o prêmio...

Mas a voz do ego nos chama de muitas formas cada vez mais atrativas e mais convincentes e de novo embarcamos nessa busca que não tem conexão com a nossa vontade mais profunda.

E acabamos por ficar perdidos no meio de tantos chamados do ego, tentando chegar aos muitos finais onde existem as promessas que nunca se cumprem e que, cada vez mais, nos afastam da felicidade.

Mas também podemos escolher escutar uma outra voz! Uma voz que nos fala suavemente nos convidando a descobrir nosso próprio caminho, sem receitas prontas e onde cada um vai escrevendo a sua própria história.

É a voz da alma!

Para seguir esse chamado da alma é preciso coragem, desapego, além de muita fé.

Coragem porque, em alguns pontos, precisamos abrir a nossa própria estrada, passar por onde ninguém passou, buscando nos mergulhos profundos as pistas que indicam a direção do próximo passo.

Desapego dos conceitos, das regras e, principalmente, do ego. É preciso desaprender muitas das coisas que aprendemos e deixar espaço para coisas novas e que fazem sentido para a nossa história.

E fé para confiar nos caminhos que a alma nos indica, sabendo que aqui não existem os limites da nossa mente racional e que os impossíveis podem se tornar possíveis quando menos esperamos.

Quando nos abrimos para seguir a voz da alma, aos poucos vamos descobrindo que a felicidade não se encontra nos prometidos finais, mas em cada passo em que estamos conectados com o nosso propósito divino.

Vamos percebendo que a felicidade é um atributo de cada um de nós que aparece na medida em que vamos nos conhecendo melhor e nos aproximando de quem realmente somos. A felicidade se aproxima da gente na medida em que nos aproximamos de nós mesmos!

E chega um tempo onde não conseguimos mais fugir do chamado que vem da alma, porque essa voz vai se fazendo tão presente e tão natural que entendemos que é a única voz que nos indica o caminho de volta pra casa.

Escute a voz da sua alma e siga esses caminhos! Assim você vai perceber que muito além do conhecido existem muitas outras possibilidades.

Até a de ser feliz!

Rubia A. Dantés.

.

1 comentários:

Tatiane Salles. disse...

A voz da alma é a voz mais alta que há.

Lindo texto, como sempre.
Ótima tarde! =D

Att.

Sobre mim

Minha foto
Claudia Mei
É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo. Clarice Lispector
Visualizar meu perfil completo

Seguidores

Sitemeter

Visualizações de páginas

Tecnologia do Blogger.