terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Presente de natal


Alfredo acordou em uma véspera de Natal, muito contente, pois uma data muito importante estava para chegar.

Era o dia do aniversário do menino Jesus e, é lógico, o dia em que o Papai Noel vinha visitá-lo todos os anos.

Com seus cinco aninhos, Alfredo esperava ansiosamente o cair da noite para voltar a dormir e olhar o seu pé de meia que estava em frente a porta, pois não tinha árvore de Natal.

Dormiu muito tarde para ver se conseguia pegar aquele velhinho no "flagra", mas como o sono era maior do que sua vontade, dormiu profundamente.

Na manhã de Natal observou que seu pé de meia não estava lá, e que não havia presente algum em toda a sua casa. Seu pai, desempregado, com os olhos cheios de água, observava atentamente seu filho, e esperava tomar coragem para falar que o seu sonho não existia. E, com muita dor no coração, o chamou:

- Alfredo, meu filho, venha cá!

Mas antes mesmo do pai começar a falar ...

- Papai?

- Pois não, meu filho?

- O Papai Noel se esqueceu de mim ...

Falando isso, Alfredo abraçou seu pai e os dois se puseram a chorar. Então, Alfredo falou:

- Ele também esqueceu do senhor, papai?

- Não, meu filho. O melhor presente que eu poderia ter ganho na vida está em meus braços ... e fique tranquilo, pois eu sei que o Papai Noel não esqueceu de você.

- Mas todas as outras crianças vizinhas estão brincando com seus presentes. Ele pulou a nossa casa...

- Não pulou, não... O seu presente está te abraçando agora, e vai te levar para um dos melhores passeios da sua vida!

E, assim, foram para um parque onde Alfredo brincou com seu pai durante o resto do dia, voltando somente no começo da noite para casa.

Chegando em casa muito sonolento, Alfredo foi para o seu quarto, e "escreveu" para o Papai Noel:

- "Querido Papai Noel, eu sei que é cedo demais para escrever e pedir alguma coisa, mas quero agradecer o presente que o senhor me deu. Desejo que todos os Natais sejam como este. Faça com que meu pai esqueça de seus problemas, e que ele possa se distrair comigo, passando uma tarde maravilhosa como a de hoje.

Obrigado pela minha vida, pois descobri que não são com brinquedos que somos felizes, e sim com o verdadeiro sentimento que está dentro de nós, que o senhor desperta nos Natais. De quem te agradece por tudo, Alfredo."

E foi dormir...

Entrando no quarto para dar boa noite ao seu filho, o pai de Alfredo viu a cartinha e, a partir desse dia, não deixou que os seus problemas afetassem a felicidade dele, e começou a fazer com que todo dia fosse Dia de Natal para ambos.

Desconheço a autoria.

.

1 comentários:

Malu disse...

Estávamos ainda hoje a discutir sobre isso eu e meu marido. Ainda bem que existe o NATAL e pelo menos uma vez por ano os pais abraçam os filhos e lhes dão presentes, reúnem a família, mesmo que para trocas subjetivas e distantes de diálogos, que lembram que Jesus nasce todos esses dias 25 de Dezembro, quando na verdade ele nos vem todos os dias, assim, nascendo mansamente... Uma bela história essa. Gosto desta época em que as pessoas tornam-se mais receptivas e sensibilizadas... Abraços

Sobre mim

Minha foto
Claudia Mei
É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo. Clarice Lispector
Visualizar meu perfil completo

Seguidores

Sitemeter

Visualizações de páginas

Tecnologia do Blogger.