sábado, 4 de setembro de 2010

Quietude

Imagine um lago. Sua superfície, absolutamente serena.
Não há vento, não há corrente.
Tudo está calmo. Suas águas contém todos os nutrientes para a vida, que se renova por si só. Procure pensar.
Eu sou como um lago, um reservatório imenso de virtudes.
Já tenho tudo que procuro.
Só preciso trazer para a superfície o que está depositado no fundo, em estado inerte.
Ao ver aflorar minha riqueza, dou vida a ela.
Deixo de buscar fora o que sinto existir dentro.
Isto é quietude.

Brahwa Kumaris

0 comentários:

Sobre mim

Minha foto
Claudia Mei
É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo. Clarice Lispector
Visualizar meu perfil completo

Seguidores

Sitemeter

Visualizações de páginas

Tecnologia do Blogger.