sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Canção em campo vasto

Deixa-me amar-te com ternura,
tanto que nossas solidões se unam
e cada um falando em sua margem
possa escutar o próprio canto

Deixa-me amar-te com loucura,
ambos cavalgando mares impossíveis
em frágeis barcos e insuficientes velas
pois disso se fará a nossa voz.

Deixa-me amar-te sem receio,
pois a solidão é um campo muito vasto
que não se deve atravessar a sós.
Lya Luft

0 comentários:

Sobre mim

Minha foto
Claudia Mei
É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo. Clarice Lispector
Visualizar meu perfil completo

Seguidores

Pesquisa

Carregando...

Sitemeter

Visualizações de páginas

Tecnologia do Blogger.